SE ESTAS PAREDES FALASSEM

Entre em sintonia com a magnífica história da música de Toronto. Leia em primeira mão sobre os locais onde se realizam os concertos mais icônicos da cidade.

Encontrar um hotel
RIHANNA @ THE DANFORTH MUSIC HALL

O AUDITÓRIO MUSICAL DE DANFORTH

Tendo sido uma sala de cinema – construída em 1919, convertida em espaço musical no final da última década de 70 e reencarnada por meio de uma renovação em 2011 – foi o local onde Rihanna famosamente levou sua turnê 777 em 2012, oferecendo um concerto muito secreto e gratuito aos seus admiradores. Também é o local onde os ídolos nacionais Alessia Cara e Justin Bieber testaram novo material. Além da potência das estrelas, o melhor acerca do auditório Danforth é seu piso inclinado, um traço arquitetônico que oferece a todos os membros da audiência linhas de visão prontas para o Instagram.

A SALA ÓRBITA

Tendo pertencido a Alex Lifeson, guitarrista da banda Rush, este retiro íntimo situado no bairro de “Little Italy” já recebeu artistas como Drake, Rolling Stones, Radiohead, Fred Schneider do B-52 e a banda de James Brown. Ricky Tillo (guitarrista da Lady Gaga), Drake e The Weeknd também atuam naquele palco sempre que desejam. Uma parte do atrativo da sala Órbita é seu prestígio como espaço musical dos músicos: a cantora Ivana Santilli, vencedora do prêmio Juno, considera que a sala é um segundo lar para alguns dos melhores artistas do Canadá e uma zona de conforto, esconderijo e destino de celebração, bem como um local usado pelos músicos para manterem sua marca.

The Rivoli

RIVOLI

O lendário Rivoli, situado na Queen West, é o local onde os ícones canadenses Blue Rodeo fizeram sua estreia em 1985. Também foi onde Dave Grohl improvisou com Iggy Pop. Outros artistas, como Adele e Feist (que aqui trabalhou como garçonete), puderam aperfeiçoar sua música. Martha Wainwright, cantora de folk, descreve o espaço como sendo tão familiar que é como se estivesse na sala de estar de alguém, exceto você ter de pagar a cerveja.

MASSEY HALL

MASSEY HALL

No meio de sete ambiciosos anos e de uma renovação que custou 135 milhões de dólares, esta sala de concertos de 122 anos é um ponto de referência de Toronto escondido junto à movimentada Yonge Street. A acústica e a ambientação de arte deco daquele espaço deixa os músicos nostálgicos. Durante um concerto em 2014, Neil Young implorou à sua audiência: Não deixem que eles alterem este lugar. Conscientemente, o mote do projeto de renovação foi “nada mudar, mas melhorar tudo”.

Afinal, quem queria estragar um local acusticamente abençoado que já foi escolhido para uma sessão de improvisação conhecida como o maior concerto de jazz já apresentado? O espetáculo de 1953 foi a única ocasião na qual os maiores músicos de jazz moderno – Charlie Parker, Dizzy Gillespie, Bud Powell, Charles Mingus e Max Roach – se reuniram no palco para uma gravação de jazz ao vivo no Massey Hall, considerado atualmente um dos mais importantes álbuns de jazz de todos os tempos.

THE CAMERON HOUSE

A CASA CAMERON

A Casa Cameron é conhecida como a sede de talentosos e emergentes compositores musicais desde que abriu suas portas em 1981. Gente como Molly Johnson, Jane Siberry e a banda Leslie Spit Treeo iniciaram suas carreiras aqui, bem como Ron Sexsmith e a banda Barenaked Ladies. Jim Cuddy, do grupo Blue Rodeo, resumiu essa lendária instituição da Queen West quando ele disse que sentia como se fosse um ensaio para a cena. Quando alguém era apreciado na Casa Cameron, poderia atuar com confiança para o resto da população de Toronto.

PALCO BUDWEISER

Há 50 anos que os Torontianos assistem a espetáculos musicais enquanto passam o tempo nos gramados junto ao lago. Bryan Adams atuou em 1995 durante a grande inauguração após uma sólida renovação do palco – e os grandes nomes continuam chegando. Com uma localização idílica na margem do Lago Ontário e colinas cobertas de grama ao redor do espaço dos assentos, é um local favorito para concertos no verão. Nos últimos anos, tem recebido uma mistura vertiginosa de artistas, incluindo Selena Gomez, os Beach Boys, os Black Keys, Peter Gabriel, One Direction e a forte presença anual de Drake durante o Festival OVO.

LEE’S PALACE

O PALÁCIO DE LEE

Local onde artistas de rock dos anos 90 como Nirvana, Smashing Pumpkins e Oasis fizeram suas estreias canadenses, o Palácio de Lee é (orgulhosamente) reconhecido como sendo o clube de música ao vivo mais sujo, com a reputação mais baixa e menos convencional. Mas, Violca Yruku, DJ, produtora de música e fotógrafa, diz que a meca de música alternativa/rock é mais do que meramente um local obscuro — também é um centro cultural da comunidade LGBTQ. Ela também diz que, quando o artista e ativista Will Munro começou apresentando eventos como Vazaleen, o Palácio de Lee começou a juntar muitos círculos culturais. Pessoas que são homossexuais, heterossexuais, transgênero e questionáveis têm passado anos aqui encontrando sua identidade. Peaches, The Hidden Cameras e Kevin Drew (que filmou seu vídeo aqui para “Lucky Ones”), da banda Broken Social Scene, frequentam e atuam regularmente no Palácio de Lee.

HORSESHOE TAVERN

Os admiradores da banda Tragically Hip sabem que esse é o bar mencionado na letra da sua tão apreciada canção “Bobcaygeon.” A letra “That night in Toronto / With its checkerboard floors” é um sinal direto a esse mítico espaço musical, onde os Hip tocaram suas faixas mais tristes, exuberantes e poéticas no final da década de 80 e início da década de 90. Conhecido pelo seu ecletismo, o Horseshoe é um dos únicos lugares de Toronto onde você pode tanto ver um espetáculo improvisado dos Pixies, quanto uma nova banda testando suas cordas, ou o encantador canadense Joel Plaskett tocando seis noites sucessivas, disse a documentarista e fotógrafa musical Vanessa Heins.